"Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo." Silvana Duboc


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Resenha - Artemis Fowl - O Menino Prodigio do Crime


Artemis Fowl! O que posso dizer desse personagem um tanto peculiar? Bem, pela primeira vez em quase uma centena de livros lidos, eu não fiquei do lado do protagonista da história. É, Artemis Fowl não é, digamos assim, flor que se cheire. Embora tenha apenas 12 anos de idade, é uma mente brilhante do crime, que arquiteta planos mirabolantes – e, pode-se dizer infalíveis – para satisfazer os seu mais sórdidos desejos. Isso inclui raptar uma fada – que para a infelicidade dele é uma capitã da LEPrecon (Liga de Elite da Policia – Unidade de Reconhecimento) – que anseia entrar em ação e ganhar o prestígio de seu chefe, o Comandante Raiz; o que não facilitara muito o desenvolvimento de seus planos, mas com toda a certeza não impedirá sua realização.
Artemis é um personagem que aparenta ter mais idade do que tem a julgar por suas atitudes e falta de caráter. O Povo, que são os elfos, anões, fadas, gnomos alados e etc., são criaturas interessantes que vêem o Povo da Lama (os humanos) de uma forma mais interessante ainda, e posso dizer que concordo com eles. O autor Eoin Colfer desenvolveu as mitológicas fadas de maneira diferente do “mundo das fadas” que conhecemos. Nessa história elas não são criaturinhas tão adoráveis, repletas de magias e com asas próprias. São na verdade um pouco mais parecidos com os humanos – fisicamente e no modo como configuram sua sociedade, mas não no modo de pensar; nesse quesito ganham uns pontinhos a mais, e são defensores árduos da natureza, recriminando O Povo da Lama por destruí-la com a poluição etc. Possuem tecnologia avançada que é desenvolvida por um centauro paranóico chamado Pótrus. E quantias altas de ouro, que é o motivo pelo qual Artemis quebra as regras – na qual humanos e fadas não podem conviver juntos – roubando um exemplar do livro sagrado das fadas que contém todos os segredos do Povo e as regras de como eles devem agir em determinadas situações; e raptando a capitã Holly Short para conseguir uma quantia pomposa de ouro pelo resgate dela. Só que Artemis não contava com o fato de que o Povo deixaria de agir conforme as regras.    
Uma história divertida que se desenrola de maneira prática e tranqüila, apresentando um mundo das fadas diferente e um protagonista maquiavélico, que em alguns momentos deixa escapar resquícios do menino de 12 anos que ele deveria ser, com suas fraquezas e incertezas. Mas não se deixe enganar, Artemis Fowl pode ser mais sagaz do que se imagina.
Gostei bastante da história e como o próprio livro diz, é uma história para leitores dos 8 aos 80 anos. 

Sequências:
2° - Artemis Fowl: Uma Aventura no Ártico
3° - Artemis Fowl: O Código Eterno
4° - Artemis Fowl: A Vingança de Opala.
5° - Artemis Fowl: A Colônia Perdida  
6° - Artemis Fowl: O Paradoxo do tempo
 

Um comentário:

  1. Fiquei com muito mais vontade de ler, agora... rsrs
    Estou curiosíssima! *-*

    ResponderExcluir